Como as emoções não compreendidas impactam a vida dos portadores de TDAH

Como as emoções não compreendidas impactam a vida dos portadores de TDAH

Como as emoções não compreendidas impactam a vida dos portadores de TDAH

como-as-emocoes-nao-compreendidas-impactam-vida-dos-portadores-de-tdah

como-as-emocoes-nao-compreendidas-impactam-vida-dos-portadores-de-tdah

“Os pesquisadores estimam que, aos 12 anos, as crianças com TDAH recebam mais de 20.000 mensagens negativas sobre si mesmas do que outras crianças da mesma idade.
Até 99% dos adolescentes e adultos com TDAH são mais sensíveis que o normal à rejeição. E quase 1 em cada 3 dizem que é a parte mais difícil de viver com o TDAH.”

Fonte: Eu Foco

Comemorado em 7 de abril, o Dia Mundial da Saúde foi instituído pela Organização Mundial da Saúde – OMS visando ampliar a visão do mundo sobre o conceito de estar saudável. O objetivo dessa data é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para a manutenção da qualidade de vida.

“A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade.”

O conceito de saúde da OMS destaca a importância da saúde mental como um dos três aspectos que devem ser valorizados.

Sabemos que são muitas as condições de saúde mental que afetam as pessoas, algumas bem evidentes, outras menos e talvez por isso nem sempre diagnosticadas. Esse fato acontece muito com os portadores de TDAH. Especialmente mulheres e adultos que não foram diagnosticados na infância e seguem pela vida afora carregando dificuldades imensas, sem saber o que é o transtorno que afeta sua qualidade de vida.

Entre os muitos sintomas e características do TDAH estão a ansiedade, a depressão e um terceiro que é pouco divulgado embora muito frequente, a Disforia Sensível à Rejeição, ou RSD¹. Um dos problemas associados ao RSD é que ele pode ser confundido com outros transtornos quando a pessoa que manifesta ainda não tem o diagnóstico de TDAH. O que também ocorre com uma certa frequência.

Mesmo quando existe um diagnóstico, os sintomas aparentes do TDAH como a hiperatividade, desatenção e impulsividade são facilmente observados. Mas, para aqueles que experimentam esse transtorno, um dos aspectos mais desafiadores pode ser invisível para o espectador: a Disforia Sensível à Rejeição.¹

A associação do RSD com o TDAH ocorre porque os portadores são muito sensíveis à rejeição, ao mesmo tempo que estão constantemente sendo repreendidos, acusados e rejeitados, o que afeta profundamente sua auto estima. Como o sistema nervoso dos portadores de TDAH reage excessivamente às ocorrências do mundo exterior, qualquer sentimento de rejeição pode desencadear uma reação emocional extrema. Essa reação é a Disforia Sensível à Rejeição, que afeta crianças, jovens e adultos²:

  • Os pesquisadores estimam que, aos 12 anos, as crianças com TDAH recebam mais de 20.000 mensagens negativas sobre si mesmas do que outras crianças da mesma idade.²
  • Até 99% dos adolescentes e adultos com TDAH são mais sensíveis que o normal à rejeição. E quase 1 em cada 3 dizem que é a parte mais difícil de viver com o TDAH.²

A Disforia Sensível à Rejeição é um problema neurológico e genético que faz parte do TDAH e pode ser muito debilitante. Seus sintomasse manifestam na forma de perturbações emocionais em pessoas que são mais sensíveis do que os outros à rejeição, provocações, críticas ou à própria percepção de que fracassaram.

O que é Disforia Sensível à Rejeição?

A Disforia Sensível à Rejeição é uma extrema sensibilidade e dor emocional desencadeada pela percepção de que uma pessoa foi rejeitada, provocada ou criticada por pessoas importantes em sua vida. Essa percepção pode ser apenas imaginária e não necessariamente corresponder à realidade. A RSD também pode ser desencadeada por um sentimento de fracasso, ou de ficar aquém do esperado, o que significa não conseguir atingir seus próprios altos padrões ou corresponder às expectativas dos outros.³

Disforia é uma palavra grega que significa “difícil de suportar”. As pessoas que têm RSD não lidam bem com a rejeição, ficam muito perturbadas se percebem que alguém as tem evitado ou criticado, mesmo que esse sentimento seja apenas imaginário. Essa reação por vezes excessiva não significa uma fragilidade maior dos portadores de TDAH. A manifestação acontece porque a resposta emocional os machuca muito mais do que às pessoas sem essa condição e quando essa resposta emocional é internalizada, ela pode imitar um transtorno de humor completo com ideação suicida.

A pessoa responsável por causar a situação e dor pode ser impactada por uma reação de raiva impressionante e instantânea, muitas vezes não compatível e completamente desproporcional ao fato causador. Quando não existe um diagnóstico prévio de TDAH pode levar muito tempo para os médicos reconhecerem que esses sintomas são causados por mudanças emocionais súbitas relaciona-das à sensibilidade do transtorno e ao sentimento de rejeição a ele associado.

  • 50% das pessoas que recebem tratamento de controle da raiva ordenado pelo tribunal têm TDAH não reconhecido anteriormente.³

Como o RSD impacta os portadores de TDAH

É certo que as pessoas com TDAH já têm que lidar com muitas e complexas dificuldades que afetam o seu cotidiano. Quando a Disforia Sensível à Rejeição se manifesta ela não é apenas mais um sintoma, é a causa de uma dor tão forte que muitas vezes, as pessoas não conseguem descrever. Dizem que é intenso, horrível, terrível e avassalador e sempre desencadeada pela perda percebida ou real de aprovação, amor ou respeito. Na tentativa de evitar a rejeição, ainda que imaginária, as pessoas desenvolvem uma certa fobia social, que é um medo antecipatório intenso de que vão envergonhar-se em público, ou que serão duramente examinadas pelo mundo exterior. Uma pessoa com RSD pode internalizar ou externalizar sua reação, ou às vezes utilizar ambos os meios para lidar com suas emoções¹:

  • A RSD internalizada pode se manifestar como um transtorno de humor importante, com mudanças repentinas de sentir-se bem ou intensamente triste, até mesmo ao ponto de ideação suicida. Muitas vezes diagnosticado erroneamente como transtorno bipolar de ciclagem rápida, esse aspecto da RSD é frequentemente ignorado pelos profissionais de saúde.
  • A RSD externalizada pode se manifestar como um intenso flash de raiva direcionado à pessoa ou situação que originaram da dor. Enquanto os episódios de RSD são intensos e não duram muito tempo, a recuperação pode levar algum tempo.

Para lidar com esse verdadeiro monstro emocional algumas pessoas desenvolvem estratégias visando reduzir a rejeição, mas nem sempre elas são muito positivas para suas vidas:

  • Algumas tentam tornar-se pessoas agradáveis, representando algo que realmente não são para garantir que outras pessoas não estejam descontentes com elas.
  • Outras param de tentar algo novo que possa resultar em falhas diante dos demais. Elas desistem de ir a encontros, se candidatar a empregos ou conversar em reuniões. Essas são as pessoas muito inteligentes e capazes que se tornam as preguiçosas do mundo e não fazem absolutamente nada com suas vidas.
  • Também existem aquelas que usam a dor para encontrar a superação e trabalham constantemente para serem as melhores naquilo que fazem. São conhecidas como “overachievers”, pessoas que conseguem mais sucesso que o esperado. Elas se esforçam para uma perfeição que nunca é atingível e são constantemente levadas a alcançar mais.

Como lidar com o RSD

Se você percebeu que apresenta alguns dos sintomas de RSD, saiba que pode fazer mais que desenvolver estratégias comprometedoras para o seu próprio bem-estar. O primeiro passo é procurar um profissional de saúde para obter um diagnóstico seguro. Pode ser que ele indique medicamentos ou terapias, mas enquanto isso é bom saber algumas formas de lidar com o RSD:

  • Tenha o controle das suas emoções
  • Se você sentir um episódio chegando, tente processar suas emoções racionalmente. Perceba seu senso de perfeccionismo e deixe-o ir.
  • Lembre-se de que o que você percebe como a causa da rejeição pode na verdade não existir.
  • Reduza seus fatores de estresse
  • O estresse sobrecarrega seus sistemas nervoso e endócrino, tornando mais difícil para você lidar com situações em que o seu RSD pode aumentar.
  • A neurologia funcional, pode ajudar a criar um plano de estilo de vida para reduzir e gerenciar seu nível de estresse.

Enfim, é importante saber que você não está sozinho, que seus sintomas são parte do transtorno do TDAH e que existem muitas formas de reduzir os impactos emocionais do DSR para a sua vida e dos que convivem com você.

Referências:
1. DR.-NOËL-THOMAS. Inability To Handle Rejection A Troubling Adhd Symptom. Disponível em: <http://www.drnoelthomas.com/blog/2018/11/30/inability-to-handle-rejection-a-troubling-a-dhd-symptom> Acesso em: 13 Abr. 2019.
2. MEDICINEH. O que é Disforia Sensível à Rejeição?. Disponível em: <https://pt.medicineh. com/79-rejection-sensitive-dysphoria-89781> Acesso em: 13 Abr. 2019.
3. ADDITUDE. Rejection Sensitive Dysphoria and ADHD. Disponível em: <https://www.additu-demag.com/rejection-sensitive-dysphoria-and-adhd/> Acesso em: 13 Abr. 2019.

Envie seu comentário